10-03-2015

A menina que tinha dons

Quando eu vi que esse livro foi escrito pelo grande M. R. Carey, não medi esforço para comprar, e quando terminei de ler, não me continuando amando de paixão Carey e qualquer pessoa que faça parte de qualquer coisa que envolva X-Men.

O livro nos conta a história de uma garotinha de 10 anos chamada Melanie. Ela é inteligente, esperta, interessada, adorável e, no entanto, há pessoas que aparentam ter muito medo dela. Melanie não entende. Gosta de ler, de estudar História, é uma boa menina. Vai a escola diariamente, ama sua querida professora Srta. Helen Justineau, conversa com os colegas quando é possível. Colegas que vivem em mesmas condições que Melanie: da cela para a sala de aula. Todas as manhãs os militares buscam as crianças para irem a aula, amarram cada uma delas em uma cadeira de rodas sob a mira de uma arma e as conduzem por um longo corredor.

A menina que tinha dons

Tenho até medo de falar mais que isso, já que seria spoiler. O interessante do livro é descobrir aos poucos o que realmente está acontecendo. Por que todos tem medo da Melanie? Por que amarram as crianças de forma tão cruel? Entre outros vários questionamentos que o livro nos propõe. Estamos, de fato, em um cenário pós-apocalíptico e há cerca de 5 personagens de suma importância para que compreendamos o que está acontecendo. Sentimos o que eles estão sentindo, a dor, o medo, a angústia, o desespero e assim conseguimos ver a situação do ponto de vista de cada um deles, restando ao leitor optar (ou se solidarizar) por um lado.

O melhor dia da semana é quando a Srta. Justineau dá aula. Nem sempre é o mesmo dia e em algumas semanas ela nem aparece, mas sempre que é empurrada na cadeira para a sala de aula e vê a Srta. Justineau ali, Melanie sente uma onda de pura felicidade, como se seu coração voasse dela para o céu.

Apenas do que li em outras resenhas, não encontrei erros de digitação, o espaçamento está ótimo, a capa é fiel a original e a leitura flui de forma agradável, a estória, contada na terceira pessoa, é muito bem dosada entre drama, terror e suspense.

A menina que tinha dons

Talvez porque ela tenha uma paixão por mim e todo amor é cego como precisa ser.

E o misto de sentimentos que surgem ao decorrer da lentura é demais, os sentimentos que se opunham o tempo todo. Por vezes, sentia medo ou raiva e, em seguida, me arrependia. Nem tudo é o que parece. A Menina que Tinha Dons é capaz de te revirar o estômago e ao mesmo tempo querer abraçar a pequena Melanie. É um excelente livro do gênero. Eu esperava um final comum, típico de muitos autores, mas estamos falando de Carey né, FINAL SURPREENDENTE.

A menina que tinha donst

A garota é incomum…Única talvez seja uma palavra melhor…Mas ela é o que é. O que a torna única é ela saber disse. Ela não julga ninguém com seriedade. Muita gente devia usar isso como exemplo.

A menina que tinha dons

Comentar pelo Facebook:
Ou comente por aqui:

Leave a Reply

Seu endereço de e-mail não será publicado. Não precisa preencher o website ;)