14-05-2015

Por Lugares Incríveis

Estou há alguns dias tentando descobrir como vou escrever essa resenha, fiquei muito encantada com o livro e há muito tempo eu não encontrava uma obra que mexesse tanto comigo a ponto de me deixar chorando e bem pensativa durante alguns dias. Ainda estou sem chão, tentando absorver toda a carga emocional de Por Lugares Incríveis.

Se tivesse lido spoiler ou conversado com alguém que me contasse o livro todo, Por Lugares Incríveis teria me conquistado da mesma forma. Esse é um daqueles livros que cada leitor vai ter uma experiência única, seja por ter passado por situações parecidas, seja por querer viver algo desse tipo ou por um simples envolvimento com o que os personagens estão passando. Quando um autor se propõe a fazer um livro sobre a vida e consegue colocar expor todos os sentimentos de qualquer pessoa em personagens – profundos ou fúteis – a ponto de parecer verossímil, é impossível não se envolver e não encontrar algum ponto em que você se identifique e é exatamente por isso que a trajetória de Violet e Finch se tornou tão especial para mim.

Aprendi que existem coisas boas no mundo, se você procurar por elas. Aprendi que nem todo mundo é uma decepção, incluindo eu mesmo, e que um salto a 383 metros de altura pode parecer mais alto que uma torre do sino se você estiver do lado da pessoa certa.

A narrativa em primeira pessoa, dividida entre Violet e Finch, parece uma escolha óbvia, mas em um certo momento fica claro que era mais do que um meio de narrar uma história e sim uma estratégia para fazer o leitor a sentir na pele. Mais do que ver o mundo com os olhos dos personagens, chega um ponto em que suas dúvidas e inquietações se tornam nossas e passamos a lutar contra os mesmos fantasmas que os perseguem. A dinâmica entre Finch e Violet é ótima. Nada entre eles é instantâneo ou forçado, o que faz com que nos apeguemos ainda mais aos personagens. Conforme eles se conhecem e se afeiçoam um ao outro, nós os conhecemos e nos afeiçoamos a eles.

Você tem que viver sem arrependimentos. É mais fácil fazer a coisa certa desde o início pra que não tenha que pedir desculpas depois.

Dicotomias se apresentam. Violet sempre soube o que queria fazer do seu futuro. Finch mal sabe quem é no presente e a cada dia inventa uma nova personalidade. Violet não sabe como voltar a ser quem era (tudo que sabia fazer, tudo em que era boa, tudo que importava, de repente se perde quando a irmã morre). Finch se esforça para fugir de quem é (tenta se encontrar ao mesmo tempo que quer se perder, tendo em mente o que faria com que os outros o deixassem em paz).

O mote “duas pessoas diferentes que se unem por algo em comum e trazem uma para a outra exatamente o que a outra precisa” não tem nada de inédito. Mas Niven leva tão a fundo as angústias desses personagens que logo esquecemos que sua trama poderia facilmente descambar para o clichê. Finch e Violet são reais em suas páginas e têm camadas que o leitor vai conhecendo aos poucos. Camadas também têm os personagens que os cercam e o tempo inteiro a autora mostra como todos cometemos o erro de rotular o que não conhecemos e como temos a tendência de esconder o que nos fará sermos mal compreendidos. O que mostra o talento e o domínio de Niven sob a trama é que para qualquer lado que se olhe tudo poderia ter dado errado, mas nada – absolutamente nada – deu. Com menos habilidade, ambos personagens poderiam ter se tornado irritantes e sua história poderia soar melodramática, mas como isso seria possível quando nos importamos tão profundamente que eles fiquem bem? Quando sentimos que seus dramas nos pertencem um pouco simplesmente porque gostamos deles?

Aprendi por experiência própria que a melhor coisa a fazer é não falar o que realmente pensamos. Se não falamos nada, as pessoas concluem que não estamos pensando em nada além do que deixamos que elas vejam.

A força com que Por Lugares Incríveis me atingiu foi enorme, suficiente para fazer de suas personagens e histórias inesquecíveis. Embora, inicialmente, minha leitura tenha sido superficial, a partir de determinado momento meu envolvimento foi completo. O livro traz a tona verdades que não podem ser ignoradas e que devem receber a devida atenção. Ao mesmo tempo em que o livro pode servir como um apoio a muitos que precisam, esteja preparado: ele também tem a capacidade de arrasar suas emoções.

Comentar pelo Facebook:
Ou comente por aqui:

Leave a Reply

Seu endereço de e-mail não será publicado. Não precisa preencher o website ;)